Passar para o Conteúdo Principal
Hoje
Máx C
Mín C
siga-nos

Município de Odemira cria Fórum do Território

Forum do territorio 1 1024 2500

O Município de Odemira iniciou o processo de criação do Fórum do Território, um espaço de participação cívica e reflexão para a co-construção (envolvendo e responsabilizando todos) de um território com mais qualidade de vida, com base na identificação dos objetivos comuns para um desenvolvimento sustentável, assente num modelo inovador de governança. Este pretende ser um espaço de participação para toda a comunidade, sem excepção.

A primeira sessão decorreu no dia 27 de novembro, no Mercado Municipal, com a participação de um grupo de mais de 80 cidadãos. Foram lançadas questões para discussão como quais os objetivos do fórum, que tipo de fórum queremos, que modelo de funcionamento queremos para o fórum e se ele deve ter uma estrutura, mais ou menos formal.


A primeira sessão contou com a participação do Presidente da Câmara Municipal, Hélder Guerreiro, e dos vereadores Ricardo Cardoso, Isabel Palma Raposo, Raquel Vicente e Silva e Pedro Ramos. A dinamização dos três grupos (informais) foi assegurada por Isabel Palma Raposo, Maria do Rosário Oliveira e Telma Guerreiro.
Para Hélder Guerreiro, “Faz todo o sentido envolver as pessoas quando se pensa e discute o território. Com a diversidade e a capacidade que Odemira tem, faz todo o sentido criarmos um espaço para a participação cidadã, assente num modelo inspirador de governança. É importante agarrar as pessoas e as suas ideias”, transmitindo “confiança, num processo claro e transparente, onde a construção do consenso entre todos e todas é a melhor forma de salvaguardarmos o bem comum”.


O autarca defende “todos serão importantes para co-construir um processo de governança para o território” e que “toda a participação, de cada cidadão, é significativa.” Com o Fórum do Território, o Município dá voz e oportunidade para que todos sejam co-responsáveis pela construção informada do futuro do concelho.
Hélder Guerreiro vê o “empoderamento das comunidades como a melhor forma que temos de defender o modelo democrático e livre em que vivemos.”


No final da primeira sessão, vivida de forma entusiasmada e intensa, o autarca confessou que “participámos num momento único” e que “não podemos ficar por aqui. "Assim, acreditamos que seremos capazes de construir o nosso futuro.”

30 Novembro 2021