Passar para o Conteúdo Principal
Hoje
Máx C
Mín C
siga-nos

Centro de Valorização da Viola Campaniça e Canto de Improviso abre portas em São Martinho das Amoreiras

O Centro de Valorização da Viola Campaniça e Canto de Improviso de São Martinho das Amoreiras foi inaugurado no dia 15 de junho. Este novo equipamento cultural constitui uma aposta do Município de Odemira na estratégia de promoção e valorização da cultura local, contribuindo para o desenvolvimento económico e social da região, num investimento de cerca de 288 mil euros, com financiamento através do Alentejo 2020.

A iniciativa contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Odemira, Hélder Guerreiro, do Presidente da Junta de Freguesia de São Martinho das Amoreiras, Nuno Duarte, e do 2º Secretário da Assembleia Municipal de Odemira, Amâncio Piedade, bem como dos tocadores, cantadores, mestres, alunos e professores, que têm perpetuado este património imaterial da região.

Hélder Guerreiro agradeceu “ao consórcio que se constituiu” para iniciar “este trabalho de começar a ensinar, ou a reensinar a tocar a viola campaniça”, bem como às Juntas de Freguesia de São Martinho das Amoreiras e Luzianes-Gare, mas também de São Teotónio, “que têm espaços onde, de facto, se constrói a viola campaniça”, conseguindo “juntar uma série de mestres da viola campaniça. Foi com essa conjugação de vontades que hoje a viola campaniça tem dezenas de adultos e crianças a aprender a tocar.” Acrescentou que “A casa da viola campaniça é o Concelho de Odemira”, pois estes alunos “estão em Colos, em São Teotónio, em Luzianes-Gare, em Santa Clara, em Sabóia, também em Vila Nova de Milfontes, somos a casa da viola campaniça.”

O Centro é fundamental na estratégia municipal para valorizar o património imaterial e no fortalecer da identidade cultural e do sentido de comunidade. Nas palavras do autarca “É algo que nos enche de orgulho porque sabemos que salvaguarda e valoriza uma tradição que é nossa, uma identidade que é nossa.”

Com o objetivo de contemplar as vertentes de ensino e investigação, pretende-se que a sede do CVVCCI seja um espaço cultural ao serviço da comunidade, que contempla um espaço expositivo, taberna típica e pátio que permite a realização de atividades ao ar livre, a par de um programa formativo regular para crianças e adultos, que tem vindo a ser desenvolvido nas escolas do interior do concelho e em vários espaços na aldeia de São Martinho das Amoreiras.

O CVVCCI resulta de um consórcio entre o Município de Odemira, Junta de Freguesia de São Martinho das Amoreiras, Associação São Martinho Terra e Gente, Casa do Povo de São Martinho das Amoreiras e Associação para o Desenvolvimento de Amoreiras-Gare, entidades que unem esforços para o estudo, formação e divulgação da Viola Campaniça, do Cante de Improviso e Poesia Popular, formas de expressão cultural marcantes na identidade do território.

O momento de inauguração do espaço integrou o programa do Fórum Artes e Ofícios 2024: Transmitir o Fazer, que decorre no concelho de Odemira durante o mês de junho e que coloca o saber-fazer artesanal no centro do debate e da criação.

17 Junho 2024